Célio Aquino homenageado com a Medalha João Oscar

Notícias
Escritor, poeta, memorialista e jornalista. Autor de quatros livros e que há 88 anos vem contribuindo para a cultura e memória do município de São João da Barra. Este é um resumo da vida do sanjoanense Célio de Souza Aquino, que recebeu na noite de quinta-feira (29), a Medalha João Oscar do Amaral Pinto, conferida pela Câmara Municipal, em cerimônia que lotou o plenário da Casa e foi marcada, ainda, pelo Prêmio Pai Talento.
– É com grande prazer que estou aqui como mais um filho de São João da Barra, que ama a sua terra... E é com satisfação que recebo mais uma homenagem; agora com o nome notório de João Oscar, que, para mim, é como se fosse um filho, um irmão; um primo amigo que não saía lá de casa, que amava São João da Barra e, acima de tudo, as pessoas mais pobres – disse Célio.

À cerimônia, estiveram presentes, a esposa de João Oscar, Cecília Rodrigues Pinto, e os dos dois filhos do casal: André e Luiz Alberto – este último, convidado pelo cerimonial para falar sobre o pai. Visivelmente emocionado, Luiz leu a biografia escrita pelo irmão e lembrou que João Oscar considerava São João da Barra a sua grande família. “Papai amava demais essa terra”!

O presidente da Casa, Aluizio Siqueira, explicou que a Medalha João Oscar foi instituída por ele e o vereador Alex Firme, por meio de resolução aprovada por unanimidade, com o propósito de destacar o papel do homem, como já ocorre desde 2013 com as mulheres, na Medalha Narcisa Amália.

– Vimos agora que também era preciso simbolizar o papel do homem aqui, e escolhemos seu Célio Aquino para ser o primeiro homenageado, aliás, uma homenagem muita justa a esse grande sanjoanense que tanto fez por nosso município”, disse Aluizio. “Precisamos sempre valorizar as pessoas que fazem parte da história de nossa cidade, como é o caso de João Oscar, Narcisa Amália... E seu Célio representa a cultura viva de nosso município, que possui uma história muito rica”, completou Alex Firme.

Célio Aquino - Nasceu em 1931 e seu primeiro trabalho foi na gráfica do jornal A Evolução. Fundou três jornais. Como cronista, assinou colunas em jornais e revistas – em boa parte deles com o nome “Cedaqui”, uma brincadeira com as iniciais de seu nome. Também publicou quatro livros: “Minhas histórias de São João da Barra” (1997), “Retrato antigo duma cidade” (2001), “Cedaqui, o anarquista” (2009) e "O escrevedor" (2016).

João Oscar - Escritor, historiador, poeta, romancista, professor universitário, advogado e tabelião. Nasceu em 1939, foi membro de várias academias de letras e institutos culturais, secretário Municipal de Educação e Cultura de São João da Barra e tem 14 livros publicados. Morou por muitos anos em Teresópolis, a trabalho, mas contava os dias e as horas para se aposentar e voltar para a sua terra natal. João Oscar faleceu em 2006

Os homenageados do Prêmio Pai Talento foram:

Ronaldo Manhães (Gerson Crispim)
Antônio Candido Filho (Eziel Pedro)
Luiz Ronaldo Neves (Aluizio Siqueira)
João Rodrigues (Alex Firme)
Paulo José Rangel (Chico da Quixaba)
Rosalvo Siqueira (Franquis Arêas)
José Ricardo Rangel dos Santos (Carlos Caputi)
Mário Nunes da Silva (Ronaldo Gomes)
Moacyr Alves Rangel (Sônia Pereira)


Texto: Alicinéia Gama
Fotos: Paulo Pinheiro