Aprovado requerimento que sugere criação de cooperativa de produtores rurais

Notícias
Visando apoiar os produtores rurais do município de São João da Barra, principalmente os do 5º Distrito, a Câmara de Vereadores aprovou na sessão desta terça-feira (27), requerimento sugerindo à Secretaria de Agricultura que faça um estudo para tentar viabilizar a criação de uma cooperativa para que os produtores possam escoar os seus produtos sem precisar passar pela figura do atravessador. A matéria foi proposta pelo vereador Gerson Crispim.
Segundo ele, o município é conhecido pela produção de quiabo, maxixe, jiló, batata doce, pimentão e abacaxi. “Os produtores trabalham muito e ganham pouco, porque a mercadoria sai daqui sem preço e o valor do produtor só é tirado após a venda, ficando o lucro quase todo na mão do atravessador”, explicou o vereador.

Luz - Na sessão, duas proposições foram direcionadas à Enel. Uma de Aluizio Siqueira, solicitando a instalação da rede de energia com colocação de postes na Rua Francisco Pereira Gomes, prolongamento do bairro Jardim das Palmeiras (Atafona). E a outra, de Eziel Pedro da Silva, que pediu a extensão da rede de energia elétrica de baixa tensão no trecho de rua conhecido como Estrada do Cacau e na Rua Benacy Ribeiro, ambos em Sabonete.

O vereador Franquis Arêas requereu à Secretaria de Saúde, a aquisição de um tomógrafo para o município. E por meio de indicação, sugeriu a construção de uma ciclovia de Atafona até Grussaí. A vereadora Sônia Pereira (Soninha) solicitou a abertura da Rua Francebilio Nunes (que passou por desafetação conforme a lei nº 165/2010) em Atafona. Manoel Francisco Barreto (Chico da Quixaba) pediu a colocação de quebra-molas ou tachões na Rua Principal de Quixaba.

Ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Aluizio Siqueira requereu uma operação tapa buracos na estrada RJ 240, incluindo o recapeamento asfáltico no trecho entre Azeitona, Capela de São Pedro até a chegada do Açu. O vereador Alex Firme, por meio de indicação, propôs ao município, a aquisição do casarão da família Graça, na Sede, para ser utilizado como espaço cultural.

Foto: Júlhia Gama